Medo

Todo mundo tem ou já teve medos. Pode ser de aranha, de avião.

Pode ser medo do mar, e até de fantasma...

Medo é coisa que dá em gente, não é?

E é até bom, porque ajuda a nos proteger dos perigos do dia-a-dia.

Mas tem medos que paralisam a vida.

Que impedem a gente de crescer.

Quando a gente ama alguém, tem medo de perder.

Rejeição dá medo mesmo.

Quando a gente tem um trabalho, tem medo de perder.

Desemprego dá medo mesmo.

Mas sabem o que é pior que o medo?

A falta de ousadia, de persistência, de coragem de arriscar...

O medo do novo, o medo da mudança, o medo da recusa, o medo da velhice...

Isso tudo é medo que vai adiando a felicidade.

Na geladeira lá de casa tem um ímã com uma frase que eu gosto muito.

É assim: "O homem é realmente livre quando não tem medo do ridículo"

Ter medo do ridículo é ter medo de se expor. E se você se esconde, jamais saberão quem você é, quais são os seus talentos, suas ideias...

O medo é um sentimento legítimo, mas ele não pode reger a vida da gente.

Eu tenho medos como todo mundo, mas faço uma força danada pra espanar ele pra longe de mim.

E eu vou dizer uma coisa pra vocês:

Todas as vezes que eu superei o medo, eu fui feliz ou, no mínimo, aprendi coisas muito importantes.

E o medo da morte?

Esse sim é o primeiro e o maior de todos.

Mas se a gente ficar pensando nela, não vive.

Aí os dias passam sem graça e a gente acaba sem ter o que contar pros nossos netos.

No fundo, quem tem medo que as coisas se acabem, perde o melhor da festa, que é o agora.

Então, cuidado se você sofre demais com esse medo de morrer...

Isso pode ser apenas... medo de viver.

(Lena Gino) 

 Radio Lideranca FM 94,7 - Abaete/MG   |   Grupo DPA de Comunicacao e Hotelaria

Copyright © 2012 GO Multimídia